entainpartners - Stellantis vai usar tecnologia da chinesa CATL em carros elétricos

0

CATL vai fornecer baterias LFP para carros elétricos da Stellantis. Tecnologia presente em BYD e Tesla será aplicada em modelos Fiat, Peugeot e Jeep

Jeep Avenger em versão 100% elétrico. Stellantis terá baterias LFP
Jeep Avenger em versão 100% elétrico. Stellantis terá baterias LFP

AStellantis e a CATL assinaram nesta terça-feira (21) um memorando para o fornecimento de células e módulos de bateria LFP (Lithium Iron Phosphate) para veículos elétricos. O acordo não-vinculativo faz parte da estratégia do grupo dono de Fiat, Jeep, Ram, Peugeot e Citroen, dentre outras marcas, para ampliar a eletrificação dos produtos. Além disso, há possibilidade da criação de uma joint venture entre as duas empresas.

LEIA:
Dono protesta com Volvo XC40 queimado na porta da concessionária
GWM Haval H6 vende mais que Corolla Cross em maio
VÍDEO | Nissan Sentra 2023 Exclusive ganha pelo design e conforto
Jeep Renegade é investigado pelo MP por grave defeito
Novo carro popular: Governo reduz imposto para modelos até R$ 120 mil

A CATL (Contemporary Amperex Technology Co. Limited) é uma empresa chinesa criada há 12 anos. Atualmente é a maior fornecedora do mundo, com 34% de market share à frente de LG e BYD. Entre seus clientes estão Ford, BMW, Hyundai, Honda, Volkswagen e chinesas como Li Auto, Nio e XPeng

CEO da Stellantis, o português Carlos Tavares afirma que o acordo sobre baterias LFP é uma peça adicional na estratégia de longo prazo da empresa. Ele ressaltou a importância de proteger a liberdade de mobilidade da classe média europeia. Isso porque o acordo é voltado para o mercado do velho continente. Contudo, de lá vêm vários carros importados para o Brasil, como Peugeot e208, e2008 ou o híbrido Compass 4xe.

“A CATL é líder da indústria neste setor e, juntamente com nossas marcas icônicas de veículos, traremos tecnologia de bateria inovadora e acessível para nossos clientes, nos ajudando a alcançar a ambição de se tornar carbono neutro até 2038”, declarou Tavares.

A tecnologia das baterias LFP é reconhecida por sua longa vida útil e alta estabilidade térmica. A sigla, que significa Lithium Iron Phosphate (fosfato de ferro e lítio), possui uma composição livre de elementos polêmicos, como cobalto e manganês, frequentemente associados a preocupações sobre origens éticas.

Diferentemente das baterias de íons de lítio convencionais, as baterias LFP destacam-se por sua durabilidade, menor custo de produção e maior ciclo de vida. Isso permite recargas mais frequentes, retardando a degradação da bateria. Por outro lado, têm capacidade menor que as convencionais. Assim, para ampliar a autonomia dos carros, é necessário um maior número de módulos.

“Nós permaneceremos dedicados a entregar soluções mais competitivas e sustentáveis para nossos parceiros para promover uma transição energética global”, comentou Robin Zeng, Chairman e General Manager da CATL.

A Stellantis tem o plano Dare Forward 2030, que prevê 100% do mix de vendas de veículos elétricos a bateria (BEV) para carros de passeio na Europa e 50% do mix de vendas de carros de passeio e caminhões leves nos Estados Unidos até 2030. O grupo busca atingir a neutralidade de carbono até 2038.

A parceria com a CATL com a oferta de baterias LFT é uma chave para tais objetivos. A ideia da Stellantis é aplicar a tecnologia em carros elétricos dos segmentos B e C, abrangendo automóveis de passeio, crossovers e SUVs.